segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Capítulo V

Em alguns segundos antes da minha resposta, imaginei milhares de favores que ela poderia pedir a mim. Ela estava agora olhando em meus olhos, com um profundo desespero no olhar. Eu podia sentir que ela não estava bem. Agora eu tinha certeza que ela precisava de mim.
- Pode falar. - dei uma pausa - Faço o que for preciso por você.
- Jhon, preciso de dinheiro. Eu não posso explicar agora, mas pago a você quando puder.
- Dinheiro? Por que?
- Eu não posso explicar, Jhon por favor, não me faça explicar.
Seu olhar era de súplica.
- Certo Rachel, quanto precisa?
- Dois mil reais.
- Eu não sei se tenho isso.
- Tudo bem Jhon, mesmo assim, obrigada.
Estava com um sorriso decepcionado.
- Calma Rachel, vou ver minhas economias, e talvez tenha algum dinheiro na poupança.
- Não precisa fazer isso por mim. Sei que não é fácil conseguir essa quantia de dinheiro.
- Rachel, eu já disse que gosto muito de você, e que faço o possível e o impossível para ajudá-la.
Vi em seu olhar uma alegria diferente. Uma alegria emocionada. Como de uma criança que volta para os braços da mãe depois de algum tempo.
- Obrigada Jhon. Obrigada mesmo.
- Não agradeça ainda. Ainda vou ver se tenho o dinheiro, e ainda quero que me conte o porquê do pedido.
Me olhou por uns instantes, e sem resposta, apenas disse:
- Tchau Jhon, nos vemos amanhã.
Antes que eu pudesse responder, ela já tinha entrado em seu apartamento, extremamente atordoada. A verdade é que eu tinha esse dinheiro para ela, e muito mais. Mas eu queria saber o motivo. E ainda quero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário